FALE CONOSCO: (21) 999691616

separador-header.png
BannerRITA.png

Ementa
 

Estudo introdutório sobre o Bem Viver Indígena (Sumak Kawsay). Discussão sobre as referencias e publicações que marcaram o avanço do dialogo epistemológico sobre essa perspectiva. A soberania alimentar neste contexto. 

 


Objetivos do Curso
 

Realizar um sobrevoo sobre o Bem Viver (Sumak Kawsay) e suas aplicações na promoção da soberania dos povos indígenas e não indígenas. 

 

 

 

Bibliografia básica

 

 

ACOSTA, Alberto. O bem viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. Tradução Tadeu Breda. São Paulo: Autonomia Literária, Elefante, 2016. 
ALCANTARA, Liliane e SAMPAIO, Carlos. Bem viver como paradigma de desenvolvimento: utopia ou alternativa possível? Desenvolvimento e Meio ambiente, v.40, abr. p.231-251, 2017. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/made/article/view/48566 . Acesso em: 25 jul. 2017.ALDEIA CINTA VERMELHA-JUNDIBA. Carta aberta do terceiro encontro de pajés. Araçuaí: AIPPA, 2014. Disponível em: https://acervo.racismoambiental.net.br/2014/12/10/carta-do-iii-encontro-de-pajes/. Acesso em: 10 jan.2016.
ARRUDA, Marcos. Humanizar o infra-humano: a formação do ser humano integral: homo evolutivo, práxis e economia solidária. Petrópolis: Vozes, 2003.
BARRANQUERO, Alejandro; SÁEZ-BAEZA, Chiara. La critica descolonial y ecológica a la comunicación para el desarrolo y el cambio social. Palavra Clave, v. 18, n.1, p.41-82, mar. 2015. Disponível em: http://www.redalyc.org/html/649/64933878003/ Acesso em 16 mar. 2017. 313 __ . De la comunicación para el desarrollo a la justicia ecosocial y el buen vivir. CIC. Cardernos de Información y Comunicación [en línea], v.17, (Sin mes), p.63–78, 2012. Disponível em http://www.redalyc.org/comocitar.oa?id=93524422004 Acesso em 16 jun. 2017.
LUCIANO BANIWA, Gersem. Educação para manejo do mundo: entre a escola ideal e a escola real no Alto Rio Negro. Rio de Janeiro: Contracapa; LACED, 2013. __ . Educação para manejo do mundo: entre a escola ideal e a escola real: os dilemas da educação escolar indígena no Alto Rio Negro. Brasília, 2011. 369f. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Programa de Pós-graduação em Antropologia Social. Universidade de Brasília, 2011. 323 
__. O índio brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: Ministério da Educação; SECAD; Museu Nacional; LACED, 2006. ROCHA, Cecília; BURLANDY, Luciene; MAGALHÃES, Rosana. Segurança alimentar e nutricional: perspectivas, aprendizados e desafios para as políticas públicas. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2013.
__; LIBERATO, Rita Simone. Food Sovereignty for Cultural Food Security: the case of an indigenous community in Brazil. Food, Culture and Society, London, v. 16, n. 04, p. 589- 602, dez. 2013. 
RODRIGUEZ, Clemencia. Fissures in the mediascape: an international study of citizens’media. Cresskill: Hampton Press, 2001. RODRIGUEZ-GOMEZ, Guadalupe. The debate over food sovereignty in Mexico. In: FOOD SOVEREIGNTY: A CRITICAL DIALOGUE INTERNATIONAL DIALOGUE, 1., 2013, Connecticut. Conference paper. Connecticut: Yale University, 2013. p.1-36. Disponível em: https://www.iss.nl/sites/corporate/files/36_RodriguezGomez_2013.pdf . Acesso em: 10 fev. 2015.

 

 

Professora | Rita Simone

 

Jornalista e relações públicas. Possui mestrado em Comunicação e Cultura (Ryerson University) e doutorado em Educação (UFS). Tem realizado pesquisas utilizando a metodologia canadense do vídeo participativo no Brasil, Canadá, África do Sul e Moçambique, investigando soberania alimentar, relações de gênero, bem viver indígena e comunicação para cidadania. Coordena a programação cultural do Sesc, em Sergipe, e é professora colaboradora do Laboratório de Comunicação Ambiental da UFS.

 

 

 

 

Valor 
 

R$ 90,00 
 

Formas de pagamento via WhatsApp (21) 995128978 / (21) 999691616