Teologia Pública:
Introdução e Perspectivas
Latino-americanas

 

 

 Professor 

 

 

Irenio Silveira Chaves

 

É pastor, professor e escritor. Cursou doutorado em Teologia, mestrado em Filosofia, especialização em Novo Testamento e as graduações de Teologia e Letras. Lecionou em seminários teológicos nas áreas de Teologia, Novo Testamento e Grego. Também lecionou em Universidades nas áreas de Filosofia, Ética, Ciências Sociais, Epistemologia, Bioética e Filosofia Jurídica. Atualmente se dedica a atividades de pesquisa em pluralismo e diálogo inter-religioso, mística e relação entre fé e política.

 

 

  Ementa  

 

Abordagem sobre o espaço público sobre o lugar da existência teológica. Crise de relevância e de identidade do cristianismo na contemporaneidade. Pressupostos teóricos da teologia pública. A teologia em diálogo com os problemas que afetam o bem comum. Perspectivas latino-americanas para a teologia.

 

 Objetivo Geral 

 

Compreender o modo de fazer teológico a partir da vivência pública da fé.

 

 Objetivo específico 

 

a) Definir o espaço público como lugar da existência teológica.

b) Demonstrar como o cristianismo contemporâneo vivencia uma crise que envolve relevância e identidade.

c) Identificar formas de diálogo entre a Teologia e as demais ciências.

d) Apontar experiências latino-americanas de construção teológica.

 

 Público Alvo 

 

Pastores e pastoras, graduados e pós-graduados em Teologia, Ciências da Religião e de mais áreas de conhecimento interessados na temática da religião nos espaços públicos.

 

 Conteúdo 

 

I – O lugar da existência teológica

II – Relevância e Identidade do cristianismo na contemporaneidade.

III – Teologia em diálogo

IV – Perspectivas latino-americanas para a teologia

 

 Dinâmica e desenvolvimento 

 

Curso com 8 horas de duração, em 2 dias com 4 horas-aula cada, pela modalidade EaD.

 

 Material de apoio 

 

Apostila elaborada pelo professor.

Vídeo-aulas remotas.

 

 Descrição 

 

A teologia, nesses tempos pós-modernos, não pode mais estar circunscrita ao âmbito institucional, eclesiástico e acadêmico, mas aberta aos traços culturais de quem ouve e vivencia a palavra de Deus. O que chamamos de Teologia Pública se refere a um modo específico de fazer teologia tendo em vista refletir sobre as formas com que a igreja pode contribuir na esfera pública para a promoção do bem-estar comum. Uma teologia pública se apresenta como uma estratégia discursiva e consiste numa reflexão que contribui para que pessoas conheçam sua própria realidade e possam agir de modo crítico e construtivo. O curso visa tratar da construção teológica diante da autonomia das ciências, da cultura, da política, do pluralismo religioso e da diversidade das expressões cristãs no mundo, tendo em vista uma abordagem voltada para o público que cria oportunidades de escuta teológica e se abre para uma reflexão que deixa transparecer as fraquezas, as necessidades e as alegrias do cristianismo.

 

 Referências Bibliográficas 

 

CAVALCANTE, Ronaldo; SINNER, Rudolf von (Orgs.). Teologia Pública em Debate. São Leopoldo: Sinodal, 2011.

DUQUOC, C. H A teologia no exílio: o desafio da sobrevivência da teologia na cultura contemporânea. Petrópolis: Vozes, 2006.

GEFFRÉ, C. Como fazer teologia hoje: hermenêutica teológica. São Paulo: Paulinas, 1989.

MOLTMANN, J. Experiências de reflexão teológica. São Leopoldo: Unisinos, 2004.

MOLTMANN, J. O Deus crucificado: a cruz de Cristo como base e crítica da teologia cristã. Trad. Juliano Borges de Melo. Santo André: Academia Cristã, 2011

Tracy, D. A imaginação analógica: a teologia cristã e a cultura do pluralismo. São Leopoldo: Unisinos, 2006.

ZABATIERO, J. O público em “Teologia Pública”. In: Revista Estudos Teológicos. São Leopoldo, v. 53, n. 1, jan/jun 2013.

  Objetivo Geral  

 

Compreender a relação entre a fé cristã e o tema da justiça social como princípio orientador de uma pastoral para esses dias.

 

  Objetivos específicos  

 

- Definir os campos de aproximação da fé cristã com a o tema da justiça social.

- Investigar as formas histórica de tratamento da religião na esfera pública.

- Analisar a relação entre fé e democracia, bem comum e Direitos Humanos.

- Identificar novos princípios orientadores para a prática da justiça.

 

  Público Alvo  

 

Profissionais da área jurídica; participantes de movimentos sociais e de assistência a grupos vulneráveis e de risco; liderança religiosa em geral.

 

  Conteúdo  

 

I – Fé cristã e justiça social: uma relação necessária.

II – A religião na esfera pública: democracia, bem comum e Direitos Humanos.

III – Fé cristã diante da desigualdade social, da violência e da exploração.

IV – Novos princípios de justiça.

 

  Dinâmica e desenvolvimento  

 

  • O curso será desenvolvido na modalidade de Ensino a Distância.
  • O conteúdo será ministrado durante quatro vídeo-aulas, através do uso de videoconferência.
  • Haverá textos de apoio que serão disponibilizados durante o curso no formato de apostila.
  • Haverá um fórum de dúvidas para responder a perguntas feitas pelos alunos e compartilhamento de outras informações.
  • Serão propostos dois fóruns para interação dos participantes a partir de temas sugeridos pelo professor.
  • A avaliação final se dará através da participação nos fóruns e da assistência às vídeo-aulas.

 

  Material de apoio  

 

Videoconferência

Textos de apoio

 

  Descrição  

 

É preciso aprofundar a investigação a respeito da relação entre a fé cristã e o tema da justiça social, tendo em vista propor um princípio orientador para uma pastoral voltada para os mais vulneráveis. Dentro dessa abordagem, emergem questões a respeito da religião na esfera pública e o enfoque da democracia, do bem comum e dos Direitos Humanos como influências do cristianismo ao pensamento ocidental. A proposta de uma pastoral passa pela questão da desigualdade social e pela atuação junto a populações em situação de exploração, violência e pobreza. Pra tanto, é preciso também propor novos princípios de justiça, como compaixão, a responsabilidade e a integridade.

 

  Referências Bibliográficas  

 

ARENDT, Hanna. A condição Humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

_____ Homens em tempos sombrios. São Paulo: Companhia de Bolso, 2008.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

HABERMAS, Jürgen. Entre naturalismo e religião. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2007.

RICOEUR, Paul. O justo ou a essência da justiça. Lisboa: Instituto Piaget, 1995.

SANDEL, Michel. Justiça: o que é fazer a coisa certa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

SEN, Amartya. A ideia de justiça. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

 

 

 Certificado 


O aluno que preencher satisfatoriamente os quesitos frequência e aproveitamento terá direito a certificado.

 

 
 Valor 
 
R$ 50,00